Arquivo da categoria: Diário de uma Vida Nova

[Diário de uma Vida Nova] Detox

Ainda que você seja o tipo de pessoa que já está a muito tempo sem fazer dieta, como eu, já deve ter ouvido a palavra Detox, até porque está na moda. Detox nada mais é que um processo de desintoxicação pelo qual seu corpo passará em um período determinado, a partir do uso de uma dieta controlada, geralmente líquida, à base de sucos de frutas, verduras e legumes. Eu não fazia ideia disso até começar a fazer uma.

Aprenda-a-desintoxicar-o-seu-corpo-com-a-dieta-detox

Fui recentemente a um nutricionista esportivo com a finalidade de perder uma quantidade significativa de peso, aproximadamente 30 kg.  Estou obesa. Mas pratico esportes com frequência, faço treinamento funcional. Então, alguma coisa está errada: a alimentação. Conversa vai, conversa vem, o nutricionista me indicou começar por uma dieta detox para desinchar e preparar o corpo para meu novo plano alimentar. Topei. Saí dali, no entanto, sem entender completamente o processo pelo qual eu iria passar.

Recebi o planejamento alimentar por e-mail depois de uma semana, como o prometido, e fiquei intrigada. Eu só tomaria líquidos. Em um primeiro momento eu me apavorei porque nunca tinha feito nada assim. Liguei para o marido e passei a lista de compras. Respirei fundo e me enchi de fé.

No dia seguinte comecei. Senti alguma dificuldade mas terminei o dia com saldo mais ou menos positivo.  Furei a dieta em alguns momentos para ingerir alguma coisa salgada. E descobri, lendo mais sobre o assunto, o profundo significado do que eu estava começando a fazer.

Durante o dia a dia, nosso corpo lida com uma série de toxinas aos quais à noite, por si só, tende a eliminar. Mas como ingerimos mais do que nosso organismo é capaz de suportar, retemos líquido para dilui-las e não ficarmos intoxicados. Daí os inchaços, a falta de apetite pela manhã e a voracidade da fome ao longo do dia. Com a nossa pele é o mesmo processo, já que lida com o ar poluído, cosméticos, perfumes… Como eu amo perfumes!

Hoje, decidi fazer à risca. Cumprir todo o planejamento.  Só está mais fácil porque estou de licença médica, devido à crise aguda de ATM. É o meu corpo dando sinais de intoxicação. De que há excessos. Foi o que me levou a pensar que não basta mudar a alimentação se eu mesma não mudar meu estilo de vida, meu comportamento, meus pensamentos. Os excessos vão sempre prejudicar, fazer adoecer.

Então percebi que preciso desintoxicar a vida de muita coisa, a começar por hábitos ruins. Li em algum lugar que  “O detox não é só uma dieta, é uma mudança no estilo de vida. E para mudar, as pessoas precisam ver que é viável, que não é algo ruim”. Então, chegamos ao ponto onde eu queria, ou precisava chegar. Mudança. Estou agora com a vassoura na mão, o balde e o pano de chão. É hora de me limpar das pessoas que fazem mal, das frustrações, dos comportamentos viciados, da poeira das tarefas acumuladas e dos planejamentos deixados de lado.  É momento de abrir as janelas de casa e respirar um ar puro, revigorante e olhar para o céu com gratidão e esperança.

Não espere muito tempo para se limpar do que te faz mal também. Desintoxique-se (Sonoridade legal dessa palavra, não acham?!) Agora deixa eu ir que está na hora de preparar o meu suco.

Beijunda,

Renata.

Anúncios

[Diário de uma Vida Nova] É o início?

Começar é um desafio. E recomeçar depois de tantas tentativas frustradas é ainda pior. Pois bem. Decidi que aos 30 anos é hora de recomeçar. Decidi que preciso mudar meus hábitos, minha forma de pensar, agir, sentir. Decidi que preciso aprender a viver de modo diferente.

Mudar meus pensamentos vai ser tarefa árdua. Costumo ser muito crítica com tudo e muito mais comigo mesma. Dizem que é coisa de capricorniano. Talvez se eu acreditasse em signos e astrologia, eu concordasse em gênero, número e ascendentes. Mas essa não é minha praia. A crítica foi ensinada em casa. É coisa de família.  Aprendi junto com um monte de outras coisas boas e ruins que estão nas caixas de mudança que estou organizando nessa grande faxina emocional/física/comportamental e… ah, vocês entenderam!

Estabeleci algumas metas para estes últimos meses do ano e espero concluí-las. Se não, vou poder apreciar a superação da inércia e dormir tranquila porque tentei. E depois decido se continuarei tentando. Nada de sofrer por antecipação. Aos poucos, vocês poderão se familiarizar com elas. Não tenhamos pressa. Uma coisa de cada vez.

O texto de hoje é para iniciar o projeto que resolvi chamar de Diário da uma Vida Nova. Não sei se o nome é original. Não procurei saber. Não deve ser até porque pelo que ando vendo pelas redes sociais muita gente está como eu, desejando a completude, buscando mudar suas vidas. Algumas em busca de atingir o ideal de felicidade que, sinceramente, só existe na propaganda de massa. Deixo essa reflexão para outro momento. Voltemos ao nome do projeto.

Pensei na possibilidade de criar um novo blog, com o nome Diário de uma Vida Nova. Mas desisti porque este aqui faz parte das minhas memórias. Escrevo para mim mesma. Para desabafar e me “ouvir”. Para registrar meus pensamentos e divagações para a Renata do Futuro.  Então, aqui estamos.

Bem, antes de saber para onde quero ir é importante estabelecer o ponto de partida. Sendo assim, onde estou?  Estou onde muita gente gostaria de já ter chegado aos 30 anos. Tenho meu apartamento próprio, sou casada, tenho um marido que me ama, sou funcionária pública. Saber reconhecer as conquistas e ser grata por cada uma delas é fundamental. Estou em contentamento. Talvez eu seja uma pessoa que  você chamaria de “uma pessoa feliz”.

Contudo, ainda há desafios pessoais para perseguir. E essas conquistas por realizar estão me atormentando há anos. Faz parte da minha personalidade a procrastinação. E essa é uma das principais mudanças que desejo implementar.  Para quem não sabe, procrastinar significa adiar. E isso eu faço com uma destreza que vocês não conseguem imaginar. Com o passar do tempo, prometo voltar a falar sobre isso. Afinal, procrastinadora tem sido meu sobrenome.

Em tempos de redes sociais, não pretendo compartilhar. Não vou fazer estardalhaço. Só viver. Um dia de cada vez. Vou viver. Não vou mais pensar no que eu desejo viver. Acho que esse é o começo. Se vai ser útil, eficiente, eficaz eu não sei. Não estou preocupada. E te convido a me acompanhar nessa trajetória. Pensando bem, eu te convido a se levantar e a viver também.

Beijundas.

Como começar a correr?

Comecei a correr por causa de um objetivo muito específico: melhorar meu desempenho em outra atividade física que realizo, o Krav Magá. Sou movida a desafios e pensar numa faixa nova me estimulou a superar alguns limites e obstáculos.

Eu nunca gostei de correr ou praticar esportes que exigissem correr. Mas decidi tentar. E fui além. Comecei a participar de provas de ruas e gostei.

O pior da corrida são as primeiras 4 semanas. É cansativo, o corpo dói. Você pensa que poderia estar fazendo outra coisa prazerosa em vez de estar ali, suando, correndo. Passado o primeiro mês, seu corpo se acostuma . Você passa a sentir falta. Muita falta.

Eu nunca começaria a correr sozinha. A companhia de uma amiga foi fundamental. O apoio e os puxões de orelhas mútuos foram importantes! E eu descobri que correr agrega pessoas. Encontrei em muitas provas meus amigos com quem dividi a alegria do início das provas e o desespero dos 2 km finais.

WP_20140810_006

Além de ter conseguido emagrecer durante este ano cerca de 15 kg, pareço ter estimulado algumas amigas a sair do sedentarismo. Isso é impagável!

Ok! Mas você deve estar se perguntando: como você começou ? Beleza! Eu pedi orientação ao meu professor de KM, que me orientou a fazer o seguinte:

  • Praticar 3 vezes na semana e descansar nos intervalos;
  • Intercalar caminhada forte com corrida lenta (trote);
  • Caminhada de 5 minutos e trote de 1 minuto;
  • Distância: 5 km
  • Tempo: 1 hora

No início, eu estava muito pesada e tão sedentária que não conseguia fazer 1 minuto de trote. Daí, comecei o trote com 30 segundos. E, óbvio, não consegui fazer esse circuito por 1 hora. Como eu fiz? 10 minutos de caminhada forte para aquecer, 4 repetições do circuito, 10 minutos de caminhada forte. Período de tempo: 1 mês.

Conforme fui adquirindo resistência e melhorando meu preparo físico, o tempo de trote foi aumentando e o de caminhada diminuindo.  No segundo mês, 5 minutos de caminhada forte, repetições de 5 minutos de caminhada forte e 2 minutos de trote, 5 minutos de caminhada mais lenta para descansar.

O desenvolvimento foi bom. No meu melhor desempenho, eu começo caminhando forte por 5 minutos, faço repetições de 10 minutos de trote e 3 minutos de caminhada forte, 5 minutos de caminhada lenta.

Eu indico um site que sempre consulto e acompanho as matérias sobre o assunto e inscrições para os circuitos de corridas de rua: Ativo.com. Lá, você pode montar uma planilha de corrida de acordo com seus objetivos! Dá uma olhada nessa planilha de corrida. Há muitos outros com o mesmo tema. Envolva-se! E tenha um bom tênis para não se machucar, viu?! E descanse, pois ir com sede e empolgação ao pode te fazer lesionar alguma coisa e não queremos isso.