FAB encontrou destroços e corpos de passageiros do vôo 447 no mar


Foram retirados do mar dois corpos do sexo masculino, não identificados, a cerca de 900 km da ilha de Fernando de Noronha pela corveta Caboclo e a 69,5 km do ponto onde houve o último envio de uma mensagem de alerta do avião.

A equipe resgatou ainda uma poltrona azul, uma valise de couro, com uma passagem da Air France, e uma mochila que continha um laptop. A mala e a mochila têm a identificação de seus donos, que não foi informada. Os nomes não correspondem, necessariamente, aos corpos encontrados. Em uma das bolsas havia ainda um cartão de vacinação.

Em coletiva de imprensa em Recife, a Aeronáutica informou que os destroços foram detectados pelo avião-radar R99 da Força Aéra entre 5h e 6h da manhã. Às 8h07, foi confirmada visualmente a existência de destroços na área por um avião da FAB. Às 9h10, a corveta Caboclo, da Marinha, avistou o primeiro corpo na mesma área. A embarcação continua no local do acidente em busca de mais corpos e destroços e às 19h haverá nova entrevista coletiva para dar mais detalhes das buscas.

Neste sábado de manhã, uma equipe da Polícia Federal desembarcou no aeroporto de Noronha, que fica a 545 km de Recife. São médicos legistas e papiloscopistas especialistas em identificação humana que vão ajudar na identificação dos corpos encontrados no local do acidente. Segundo a Aeronáutica, o trabalho de identificação será feito em Recife.

Em entrevista no canal de TV Globonews, Marco Tulio Moreno, filho de um dos passageiros do voo 447 da Air France, disse que a Aeronáutica deu as informações aos parentes das vítimas antes da coletiva de imprensa realizada em Recife. A Aeronáutica informou que ainda aguarda a confirmação se a poltrona azul encontrada, com número de série 237011038331-0, corresponde à aeronave.

– Cada parente tem uma reação. Para mim é bom (encontrar os corpos). Agora podemos começar a entender o que ocorreu no acidente – disse Moreno.

Na manhã deste sábado, a Polícia Federal fez uma coleta de saliva e fios de cabelo de parentes das vítimas do voo 447, em uma sala especial montada do Hotel Windsor, na Barra da Tijuca.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s